Oh! alma, em vão serão seus esforços se pretendes ser boa e vencer as tentações com tuas forças.

Do Encontro com a Palavra de Pe. Lourival Silva da Cruz, n.02, 2015.

“Vinde a mim, vós todos que estais aflitos sob o fardo, e eu vos aliviarei.” (Mt 11,28)

 

Busque o Senhor e permanece no Senhor

Como pretendes vencer as tentações? Esta pergunta estará sempre presente nas almas penitentes que no confronto diário de suas vidas buscam superar seus limites. Mas, o que desejam estas almas? E quais são seus limites? De fato, é preciso entender o que se deseja para depois compreender os próprios limites.

Ora, o desejo da alma penitente é unir-se ao Senhor e somente viver com Ele, por Ele e n’Ele. Estamos diante de duas realidades distintas presentes na alma: a primeira que reconhece no coração da humanidade o apreço pelas coisas do alto; a segunda percebe em si o apego as coisas da terra e a inclinação em realizar suas vontades. Porém, é necessário recordar em nós a história da criação, desde a desobediência de Adão, bem como a irritação e a “inveja” de Caim que o impossibilita de olhar para o Céu.

Diante disto, devemos ouvir a voz do Senhor que nos diz, como outrora disse a Caim: “Por que você anda tão irritado e de cabeça baixa? Se você agisse bem, estaria de cabeça erguida. Mas, como não age bem, o pecado está na entrada, pronto para lançar-se sobre você. É a você que ele quer, mas você pode governá-lo” (Gn 4,6-7).

Se é bem verdade que sentimos arder em nós a força do pecado, mais ainda, é verdadeiro, de que somos conhecedores da Graça que liberta. Por isso, o Senhor nos dá o direito à escolha entre a vida e a morte (cf. Dt. 30, 15-16). O limite da alma, por sua vez, consiste em não decidir-se inteiramente pelo Bem, como nos lembra são Paulo: Não faço o bem que quereria, mas o mal que não quero. Ora, se faço o que não quero, já não sou eu que faço, mas sim o pecado que em mim habita. Encontro, pois, em mim esta lei: quando quero fazer o bem, o que se me depara é o mal. Homem infeliz que sou! Quem me livrará deste corpo que me acarreta a morte?… (Rm 7,19-21.24).

Oh! alma, em vão serão seus esforços se pretendes ser boa e vencer as tentações com tuas forças. Por isso, Graças sejam dadas a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor! Desta forma, ó Alma! Confia no Senhor, espera e tem coragem. Busque o Senhor e permanece no Senhor, pois a ti basta apenas a Tua graça.

Portanto, Se a alma não sabe com quem luta, por quem luta e porquê luta, jamais sairá vitoriosa das tentações e do combate espiritual que a envolve. Terá a falsa sensação de ter enfrentado tudo e a todos, o cansaço dos pés e das mãos. Entretanto, para as que lutam conscientes dessas realidades terão a recompensa maior e o Bem prometido: Eu vos deixo a Paz, eu vos dou a minha Paz. Por isso, vinde vós que estais cansados e aflitos e eu vos aliviarei.

image_pdfDownload do Textoimage_printImprimir Texto